Como (re)descobri meu estilo – por Ellora Haonne

foto 1080x635 - Como (re)descobri meu estilo - por Ellora Haonne

O Ouse Todo Dia, projeto de conteúdos em vídeo sobre moda da Mondaine, teve a alegria de fechar uma parceria super legal com a influenciadora digital, YouTuber e escritora, Ellora Haonne.

Em seu canal no YouTube, Ellora fala sobre empoderamento feminino, aceitação, sexualidade, autoestima, e vários outros assuntos que as nossas YouTubers, Anna e Sofia, já comentaram em diversos vídeos do Ouse Todo Dia.

Convidamos a Ellora para gravar um vídeo especial contando pra gente sobre a sua relação com a moda. E olha que mara: Ellora deu 5 dicas de como ela (re)descobriu o seu estilo pessoal, e tenho certeza que você vai amar conhecer as dicas e se identificar com elas.

Confira o vídeo completo ou leia o conteúdo na íntegra:

“Oi, pessoal! Tudo bem? Meu nome é Ellora e hoje eu vou contar como foi mudar completamente de estilo em tão pouco tempo e sem gastar muita grana, vendo referências, garimpando, etc!

 Até uns 20 anos, eu tinha um estilo completamente diferente do que eu tenho hoje! Eu gostava de roupas ultra femininas, decotão, roupa justa, muita maquiagem e tudo mais – até a sociedade molda mulheres para serem sempre femininas.

 E dos 20 anos pra cá, quando eu descobri meu corpo, quando eu descobri narrativas de outras mulheres, de outras mulheres LGBT, eu fui repensando tudo na minha vida. O uso da maquiagem, do alisamento, do sutiã, enfim, de tudo, né.

 Hoje eu tenho muito claro que cada mulher tem que fazer o que quiser! Se você quer ir pra aula 7 da manhã de cílios postiços e salto alto, mano, só vai! Ninguém tem nada a ver com sua vida!

 Mas o que é importante é sempre avaliar porquê a gente faz essas coisas; se é porque a gente quer, ou porque a gente tem medo do que as outras pessoas vão pensar da gente… porque não é saudável que os outros sejam a motivação pra gente se vestir ou se comportar.

 E essa foi uma mudança interna que foi pra fora, então, tudo que eu passei, tudo que eu descobri, tudo que eu vivi, foi pra fora. Essas escolhas se tornaram palpáveis e eu comecei a priorizar roupas que eu me sinto elegante e confortável e não necessariamente tão feminina. E tudo bem!

 Eu vou contar o que me ajudou a redescobrir meu estilo depois de toda essa mudança!

 1. Descubra quais são suas roupas favoritas

 Isso me ajudou demais! Aos poucos, percebendo que eu “tava” repetindo a mesma camisa quase todo dia, porque eu amava o caimento dela, achava ela confortável, dava pra usar de boa sem sutiã! Então, ao mesmo tempo que estava usando mil vezes a mesma camisa, também tinha pelo menos 10 croppeds que eu não usava há anos.

 Então perceber quais eram meus looks favoritos foi muito bom pra entender pra onde meu estilo “tava” apontando, que tipo de peça eu poderia ter mais, em que estilo aquilo se enquadra.

 Por exemplo, no meu caso, eu percebi que usava muito a mesma calça de alfaiataria e a mesma camisa! E as duas peças têm um estilo mais social. Então, escolher aí uns 3 looks que são seus favoritos pode ser muito esclarecedor pra entender o que você gostaria de usar mais e o que você só usa porque “tá” acostumada, mas nem se identifica tanto assim.

 2. Use o pinterest

 Gente! Eu queria tanto ter descoberto isso antes!! Sério, o Pinterest é o submundo das referências de moda, de decoração de design, de tudo! E o algoritmo dele entende suas preferências e te entrega mais fotos parecidas com as fotos que você mais gostou.

 Então você vai lá e pesquisa “roupa minimalista”, por exemplo, e vê se você se identifica com algum daqueles looks. Se você gostar de algum, é só clicar nele e rolar pra baixo que, automaticamente, ele vai te mostrar fotos parecidas com aquela.

 É tudo, gente! Não tem nem o que falar… Foi super esclarecedor pra mim. Porque eu fui pesquisando roupas sociais, depois looks queer, ou andróginos… com o passar do tempo, você vai encontrando várias peças que você gosta.

 A única parte triste é que tem pouquíssima representatividade, a maior parte das modelos são “num” padrão eurocêntrico. Mas aí fica mais uma razão pra pessoas com corpos fora do padrão usarem essas roupas: pra ser a referência de outra mulheres!

3. Prove as peças fisicamente

 Depois que você já sabe o que você gostaria mais de usar, tente ir atrás dessas peças. Prove roupas nesses estilos e veja como se sente! Não tenha medo de não comprar, “cê” tem todo direito de provar a roupa e não comprar na hora, uai.

 Taurina que sou, só compro quando tenho 100% de certeza, vou provar várias lojas e não vou comprar na hora se não for minha decisão ainda. Não tenha medo de pesquisar, de provar, de tentar… É só você ser educada com os atendentes que eles vão entender.

 Eu gosto mais de comprar roupa em brechó. Tanto porque sai mais barato, tanto porque eu me identifico com as peças mais antigas, tanto porque é um mercado que eu gosto de fazer o dinheiro girar! Então eu ia, via o que eu gostava, provava por cima mesmo! E se eu me sentir bem, eu compro! O que me lembra muito a próxima dica que é…

4. Não tenha medo de tentar

 Gente, tinham várias peças que eu olhava e pensava “fica bonito nela, porque ela é modelo” ou “ahhh, eu acho lindo, tem tudo a ver comigo, mas acho que não tenho todo esse estilo” e várias outras coisas que são só inseguranças, são só travas!

 Então, se você gostar de uma peça, se identificar com ela, achar que ela tem a ver com suas referências, prova! O máximo que pode acontecer é você não gostar e comprar outra. Mas não tenha medo de provar!

 Eu sempre lembro desses programas de transformação, sabe. Que a pessoa fala “ah eu amo o estilo da Ruby Rose” mas acha que tem que ser a Ruby Rose pra usar aquelas roupas, e não precisa, gente! Aí quando ela prova, ela fica “meu Deus, é minha cara, eu ameiiiiiii!

 Então, prova, não custa nada! Vai que você acaba gostando?

 5. E a quinta e última dica é fazer a limpa no seu guarda-roupa

 Parece uma coisa simples, mas é a mais importante. Pra ter um guarda-roupa que é a sua cara, que você usa as peças e se sente ótima, você precisa doar o que você não se identifica mais, porque se você continuar com peças no seu guarda-roupa que você não gosta, das duas uma: ou você vai continuar usando peças que não gosta, porque tá acostumada, ou vai ocupar espaço com peças que você nem usa.

 Então, gente, eu sei que existe toda uma cultura de armários enormes e muitas opções, etc… Mas vale muito mais a pena ter menos peças e usar e amar muito todas! Um guarda-roupa só com suas roupas favoritas vai fazer você se sentir linda todos os dias!

Eu praticamente só uso roupa social, porque eram minhas peças favoritas, e agora só tem isso no meu guarda-roupa! O mesmo tempo que eu demoro pra colocar uma legging e uma regata, eu demoro pra colocar uma calça jeans e uma camiseta, é o tempo que eu demoro pra colocar minha alfaiataria e minha camisa! Eu só tenho as opções que eu amo! Porque, aos poucos, eu fui substituindo, doando as peças antigas e comprando as novas.

 É isso, gente! Eu tô nesse momento mudando de casa, mudando de vida, mudando de tudo, e ter um estilo que me representa me deixa muito mais confortável, sabe. Então, espero que vocês se permitam mudar, porque é uma fase que vai chegar de qualquer jeito, todo mundo muda! Comenta aqui como foi pra vocês repensarem o estilo de vocês!

É isso! Um beijo! E paz!”

E aí, gostou das dicas da Ellora? Comenta lá no @mondainebrasil com qual delas você se identificou mais. E se inscreva no Ouse Todo Dia para acompanhar mais conteúdos do nosso canal!

Mondaine Brasil
Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *